Mulheres em FinTech: Bruna Luise Müller
Share

Continuamos nossa série ‘Mulheres em FinTech’, na qual apresentamos nossas combatentes de fraudes da Nethone, que estão no centro da criação, desenvolvimento e promoção de nossa solução avançada de prevenção à fraudes. Nosso objetivo é aumentar a conscientização sobre a equidade de gênero e como as FinTechs podem contribuir nesse processo. No segundo post de nossa série, conversamos com a Senior Customer Success Manager Bruna Luise Müller que atua no Brasil - o maior mercado de e-commerce da América Latina (LATAM) - e discutimos seu papel na ponte entre os departamentos da Nethone e seus clientes, ajudando a trazer soluções eficazes de fraude para o mercado brasileiro. Mulheres em FinTech Bruna Luise Müller

Mulheres em FinTech: a experiência como um motor para a mudança

Bruna, você tem formação em Engenharia Química e MBA em Ciência de Dados. Como essa experiência ajudou a moldar sua abordagem para o gerenciamento de riscos, especialmente quando se trata de combater fraudes?

Sempre fui uma pessoa que gosta de trabalhar com pessoas e também uma entusiasta de tecnologia, fascinada por como o uso de dados pode gerar conhecimento e ajudar as pessoas a resolverem seus problemas. Aplicados aos negócios, os dados podem ser usados para melhorar os processos internos, reduzir riscos e gerar crescimento. Porém, dados são apenas uma solução para um problema geral, para que eles de fato gerem resultados, é preciso que as pessoas os disseminem adequadamente e transmitam aos líderes empresariais e aos envolvidos na gestão de riscos como o conhecimento adquirido pode ser aplicado em suas empresas. Acredito que ter uma abordagem centrada nas pessoas é essencial para auxiliar neste processo.

Nos últimos 9 anos, trabalhei em funções relacionadas a Customer Success, aplicando este conhecimento com um fator que considero fundamental: a empatia. Compreender as empresas e seus problemas é essencial, mas também é importante se envolver ativamente com eles em todas as etapas da jornada do cliente - desde discutir seus problemas, coletar dados até criar uma solução eficaz para problemas reais. Isso é, em poucas palavras, o que eu faço agora na Nethone, trabalhando com clientes de diferentes países, especialmente do Brasil, representando a voz destes clientes dentro dos vários departamentos (desde Ciência de Dados ao Desenvolvimento de Produtos) dentro da empresa. Às vezes, simplesmente falar a mesma língua pode ser um grande passo para construir um relacionamento positivo.

Por que a Nethone está atuando no Brasil?

A entrada da Nethone no Brasil foi bastante oportuna e se deve principalmente ao fato de este ser o maior mercado de e-commerce da América Latina e atualmente o 15o do mundo. E segue crescendo, mas com esse crescimento, o fenômeno da fraude de pagamentos e transações é um grande problema, e é claro, há uma grande demanda por soluções e sistemas eficazes que agregam valor nesta luta. E é aí que entramos com nossa solução avançada de prevenção à fraudes que protege pagamentos e transações em várias plataformas, incluindo dispositivos móveis. Acredito firmemente que soluções avançadas de fraude, apoiadas em dados sólidos, podem ter um impacto positivo - eu sou realmente motivada pelo nosso propósito de combater a fraude e ajudar as empresas a crescer com segurança. Manter as pessoas e as empresas a salvo da ameaça representada pelos fraudadores também pode levar a uma sociedade melhor e mais segura, algo que todas as empresas devem se esforçar para ajudar a alcançar.

Parte do processo de combate à fraude é ajudar o crescente número de empresas que desejam ter uma presença online a entender os erros mais comuns na prevenção à fraudes em e-commerce, como evitar esses problemas e operar no online de forma eficaz. Muitos jargões às vezes podem ser cansativos, especialmente para empresas que foram forçadas a migrar online para sobreviver durante a pandemia. Eles podem não estar totalmente cientes dos perigos que podem enfrentar no ambiente online, e é por isso que empresas como a Nethone têm uma forte abordagem centrada no cliente para combater a fraude. Estamos lá para acompanhar todas as empresas em cada etapa da jornada do cliente.

Como você vê as FinTechs no Brasil nos próximos 10 anos - e as mulheres dentro delas?

O Brasil tem sido um grande mercado para o e-commerce há anos, mas os efeitos da pandemia de COVID-19 em andamento aceleraram o ritmo das mudanças. Em 2020, por exemplo, só as compras online somaram R$ 126,3 bilhões - o dobro do ano anterior. Em particular, o e-commerce acessado a partir de dispositivos móveis já vinha crescendo no país, mas em 2020, metade dos pagamentos de e-commerce foram feitos por meio de dispositivos móveis, em parte devido à grande aceitação dos consumidores. Isso é enorme e deve crescer ainda mais até 2025 e além - isso é algo que os fraudadores não deixam passar, pois veem uma oportunidade lucrativa de fraudar compradores e empresas. E eles têm alguns alvos poderosos, pois o Brasil tem um setor de FinTech em expansão, com 12 unicórnios (empresas com valor de US$ 1 bilhão ou mais) no país - de um total global de 700, sendo que a maioria se encontra nos EUA (370) e China (200). As FinTechs estão crescendo e terão um papel de liderança para garantir que pagamentos e transações sejam realizados com segurança na América Latina, e empresas como a Nethone podem liderar este caminho. O combate à fraude é um trabalho nobre, mas as FinTechs também podem fornecer um exemplo brilhante de que alcançar a equidade de gênero é possível. Usamos dados para ajudar as empresas com seus problemas, mas seria excelente ver os dados melhorarem também na diferença de gênero. Atualmente, as mulheres têm 30% menos chances de ter as mesmas oportunidades do que os homens. Se conseguirmos melhorar esse número na indústria FinTech brasileira, isso pode ajudar a mostrar a outras empresas que as mulheres podem ocupar cargos de chefia em todos os setores, diminuindo a diferença de gênero e levando à igualdade de gênero.

Você tem algum conselho para mulheres que desejam entrar no setor de FinTech?

Nunca desista e certamente nunca se sinta desencorajada a lutar por cargos superiores. O gênero nunca deve ser um fator decisivo para o preenchimento ou não de um cargo. De forma encorajadora, a indústria de FinTech é, por natureza, aberta a mudanças, portanto, a procura de emprego neste setor é incentivada. Ao aumentar o número de mulheres em FinTechs, não apenas ajudamos a aumentar a conscientização sobre a equidade de gênero em nosso próprio setor, mas esperamos que isso possa ter um efeito de encadeamento, levando à igualdade de gênero em todos os setores e países. Muito foi feito até agora, mas ainda há muito o que fazer para melhorar as coisas.


Se você está interessado em proteger seus negócios com uma solução avançada de prevenção de fraudes com um cliente UX sem atritos, ou simplesmente gostaria de saber mais sobre seus recursos, vamos conversar...


Share

Financed by: